Educação flexível e ao longo da vida na Suécia

Educação flexível e ao longo da vida na SuéciaNa Suécia toda a população activa tem o direito a deixar o seu emprego, sem o perder, por um período que pode durar alguns anos, no caso de querer participar em educação de adultos formal ou universitária. Este texto dá um panorama abrangente da educação de adultos naquele país.

Texto: Klas Tallvid, Director Executivo e Reitor, CFL (Centro de Aprendizagem Flexível), Söderhamn, Suécia. Tradução: Daniela Silveira

Na Suécia, a educação formal de adultos é organizada por cada município. Tudo começou em 1968, para benefício de adultos a quem faltava o equivalente à educação básica ou secundária, a fim de dar a todos uma “segunda oportunidade” no sistema escolar e universitário.

Hoje, a educação de adultos é financiada, em parte, pelo governo central, e em parte pelos municípios.

Nem a educação formal nem a educação universitária para adultos têm natureza comercial, pois são gratuitas, quer para a população activa, quer para desempregados.

Tanto as pessoas empregadas como as pessoas desempregadas podem solicitar subsídios de estudo (empréstimo + bolsa, num total de cerca de 650€ por mês para estudos a tempo inteiro). Se tiverem um baixo nível de educação formal, também podem obter uma bolsa superior, até 100% do valor do subsídio.

Existe um Decreto-Lei na Suécia que estabelece o direito de toda a população activa a deixar o seu emprego, sem o perder, por um período que pode durar alguns anos, no caso de querer participar em educação de adultos formal ou universitária.

Os pais e mães, que frequentam programas de educação de adultos, ou programas universitários, podem deixar os seus filhos em centros municipais de cuidados infantis, nos períodos de trabalho escolar.

Hoje, a educação formal de adultos sueca inclui: Educação básica de adultos, Nível secundário superior, Educação de adultos para deficientes mentais (Särvux) e Sueco para imigrantes.

• Educação básica de adultos

A educação básica de adultos corresponde a nove anos do ensino básico obrigatório. Os alunos decidem o seu próprio ritmo de progresso; os estudos podem ser combinados com o emprego ou uma experiência laboral. A educação básica de adultos pode conferir qualificações correspondentes aos nove anos do ensino básico obrigatório. O certificado final de curso, atribuído aos adultos, contém as notas de aprovação em quatro disciplinas nucleares:

- Sueco, ou sueco como segunda língua
- Inglês
- Matemática
- Formação cívica

Neste certificado, podem incluir-se outros cursos e disciplinas, como a Informática. O município tem o dever de oferecer uma educação básica para adultos a todas as pessoas que não tenham obtido o certificado de conclusão do ensino básico obrigatório.

• Nível secundário superior

O nível secundário superior para adultos e o nível secundário superior para jovens partilham os mesmos programas e o mesmo currículo. A educação de adultos é equivalente ao nível secundário superior para jovens, embora os cursos não sejam idênticos. As qualificações dos alunos adultos têm de ser adequadamente complementadas, para as elevar ao mesmo nível das dos jovens. No entanto, as disciplinas oferecidas podem diferir das disciplinas das escolas secundárias regulares, no que diz respeito a importância relativa, conteúdo e âmbito.

Os próprios estudantes é que determinam o número e a combinação das disciplinas, bem como o seu ritmo individual de progresso. Muitos estudantes optam por uma ou duas disciplinas apenas. São também oferecidos, no nível secundário superior, vários programas de formação profissional. O mais comum é um programa de formação para o sector de cuidados de saúde, oferecido por quase todos os municípios suecos. Podem existir outros programas de formação profissional, em função das necessidades dos mercados regionais de emprego.

• Särvux

A missão da educação de adultos para deficientes mentais consiste em suplementar a educação prévia destes alunos, de acordo com os seus estudos anteriores, experiência e capacidades.

• SFI

O ensino da língua sueca para imigrantes visa transmitir conhecimentos da língua e da sociedade suecas. Os municípios são obrigados a oferecer o SFI a todos os imigrantes adultos recém-chegados. Os estudos podem ser organizados de forma diversa, nos diferentes municípios.

Educação Não Formal

• Formação para o mercado de emprego

A formação para o mercado de emprego é um instrumento de política activa de emprego, cujos objectivos principais são a educação profissional inicial ou a formação contínua para desempregados. O Parlamento sueco transfere verbas para a Comissão Nacional do Mercado de Trabalho (Arbetsförmedlingen), a qual, por sua vez, distribui os fundos pelas comissões provinciais de trabalho e pelos centros de emprego, para que adquiram cursos de formação às empresas municipais de educação de adultos ou a empresas de formação de natureza comercial.

• Formação empresarial e desenvolvimento de competências

Muitos empregadores têm extensos programas de formação para os seus assalariados. A formação deste tipo, no seio da empresa, pode envolver praticamente tudo, desde a formação profissional prática até estudos teóricos extensivos. Pode ser levada a cabo em associação com universidades e institutos, como formação municipal subcontratada ou formação para o mercado de emprego ou ainda através de empresas de formação comerciais.

• Educação popular

Os círculos de estudo são a forma mais típica de educação popular, na Suécia. Um pequeno grupo de pessoas reúne-se regularmente, durante um período de tempo, em regra, uma vez por semana, para estudar um certo assunto (geralmente, um hobby ou tópico cultural) ou tema, ou para participar numa actividade cultural. O círculo é composto por cinco a doze participantes, sendo um deles o líder. Geralmente, os participantes pagam uma pequena taxa de participação.

Outra parte importante da educação popular na Suécia é representada pelas escolas superiores populares (Folk High Schools). São instituições residenciais que oferecem programas de formação sobre assuntos culturais, tais como cinema, teatro, arte, media e muitos mais, muitas vezes em articulação com a educação básica de adultos.

Grande parte da educação popular é feita em estreita cooperação entre os movimentos populares e outras organizações de fins não lucrativos (sindicatos, organizações políticas ou religiosas), quer sejam membros das associações de estudo, quer sejam organizações responsáveis pelas escolas superiores populares.

CFL (Centro de Aprendizagem Flexível), município de Söderhamn – um exemplo local

O CFL (Centro de Aprendizagem Flexível), www.cfl.soderhamn.se, é um centro que organiza todo o tipo de educação de adultos e educação a distância, no município de Söderhamn, uma cidade costeira com 26.000 habitantes, no norte rural da Suécia. O CFL tem cerca de 60 funcionários a tempo inteiro e 1100 estudantes em estudos a tempo inteiro ou parcial, e em vários níveis, desde a educação básica até à educação de nível universitário (cursos e programas a distância).

Uma parte importante do CFL é a Unidade de Orientação. A Orientação Profissional é oferecida a custo zero a todas as pessoas. Todos os novos alunos elaboram um plano de acção individual. A Unidade de Orientação também é responsável por organizar programas individuais de formação profissional, em cooperação com os locais de trabalho. É uma forma altamente popular e económica de realizar formação profissional para adultos, que o CFL tenta desenvolver cada vez mais. Uma outra tarefa importante da Unidade de Orientação é apoiar os processos de validação de APL (acreditação de aprendizagens anteriores / competências profissionais). Isto também é feito em cooperação com os locais de trabalho, sempre que necessário.

O CFL também foi encarregado pelo governo de se tornar uma entidade formadora a nível nacional, no âmbito do novo nível pós-secundário de formação profissional para adultos, introduzido este ano na Suécia. A Universidade Nacional VET, www.yhmyndigheten.se, vai substituir todos os outros programas avançados de formação profissional, que existem hoje na Suécia. No Outono de 2009, o CFL deu início a três programas avançados de formação profissional (pós-secundária): técnicos de turbinas eólicas em meio marítimo (um programa de dois anos), cuidados avançados de saúde (um programa de um ano) e um certificado internacional de soldadura (um programa de um ano) – todos sem custos para os participantes.

O CFL tem uma cooperação estreita com as PMEs (pequenas e médias empresas), na região, e também com o Centro de Emprego local, tentando desenvolver programas de educação e de formação que correspondam às necessidades do mercado local de emprego.

O CFL é membro da rede de ensino a distância HalsingeUtbildning (educação halsinge), www.halsingeutbildning.nu.

Nesta Rede, cooperam seis municípios da região em torno da educação para adultos, a diferentes níveis, através do uso da Aprendizagem Aberta e a Distância (a plataforma utilizada é a First Class). A cooperação no seio da HalsingeUtbildning permite aos seis municípios oferecer, dentro da região, um vasto leque de cursos, que cada município, por si só, não conseguiria oferecer. A cooperação também se concentra no desenvolvimento e na investigação sobre os métodos de aprendizagem aberta e a distância, que utilizam as novas tecnologias – e-learning – e novos métodos pedagógicos.

O CFL é também membro da rede NITUS (http://www.nitus.org), uma organização sem fins lucrativos, que providencia por todo o país aprendizagem a distância de nível universitário e de outros níveis de ensino, através de centros locais de aprendizagem.

O CFL coordenou muitos projectos-piloto, quer a nível da União Europeia (no âmbito do Programa de Aprendizagem ao Longo da Vida), quer à escala nacional, com vários projectos cofinanciados pelo Fundo Social Europeu. Eis alguns exemplos:

Projecto “EuroguideVAL” www.euroguideval.org (sobre APL / validação e orientação profissional).

Projecto “Guidance Merger” www.guidancemerger.org (como organizar orientação para pessoas empregadas).

Também cooperou com organizações em Portugal, em especial com o Instituto de Soldadura e Qualidade (ISQ), em Oeiras, num projecto intitulado Eurotrainer www.eurotrainer.org.

O CFL é um dos cinco centros de educação de adultos seleccionados entre as “melhores práticas” na Europa pelo estudo “Desenvolver centros locais de aprendizagem (2006, Investigação de políticas / Universidade de Leiden / ESREA)”, por iniciativa da Comissão Europeia (Direcção-Geral de Educação e Cultura).

O CFL é também o Centro Nacional UNESCO/UNEVOC para a Suécia www.unevoc.unesco.org.

Futuro?

Usamos a expressão “os 3M” (motor, ponto de encontro (“meeting point”) e mediador) para descrever o papel que o CFL Söderhamn quer desempenhar no futuro:

• Motor: para o crescimento económico local, por ser uma organização flexível, que lança novos projectos e acções, assim como dá apoio a outras organizações, inspirando todos os cidadãos da região a inserir-se na Aprendizagem ao Longo da Vida.

• Ponto de encontro: para ser o espaço usado pelas pessoas para se reunirem, um local onde pessoas de todos os contextos sociais, religiosos e étnicos se reúnam e estudem a vários níveis, onde imigrantes conheçam estudantes universitários, onde desempregados conheçam empregados, onde os mais velhos conheçam os mais novos. Pretende ser também um local de reunião para todo o tipo de actividades de aprendizagem, conferências e seminários.

• Mediador: para ser o mediador entre empresas locais, centros de emprego e vários tipos de entidades formadoras, para servir como mediador entre a oferta e a procura de educação de adultos no que diz respeito ao mercado local de emprego, para ser um “balcão único” para todas as pessoas que necessitam de informação e apoio sobre qualquer questão relacionada com educação de adultos, formação interna nas empresas e outras.

O CFL quer desenvolver mais o seu trabalho com a validação APL, formação profissional baseada no local de trabalho, aprendizagem aberta e a distância e também graças à cooperação internacional com organizações noutros países.

“Poderão sempre contactar-me, se pretenderem mais informações!”

Klas Tallvid, director executivo e reitor, CFL (Centro de Aprendizagem Flexível), Söderhamn, Suécia. E-mail: klas.tallvid@soderhamn.se

Tópicos: