Facilitar o Acesso à Educação às Pessoas com Deficiência

É extremamente importante o papel da educação e formação de adultos para integrar as pessoas com deficiência e proporcionar-lhes oportunidades iguais para o seu desenvolvimento pessoal e profissional e emprego.

Em junho, o foco temático da EPALE incide sobre as pessoas com deficiência e pode aceder nesta plataforma a interessantes artigos de blogues, recursos úteis e notícias sobre o tema (os conteúdos variam de acordo com o idioma selecionado).

A EPALE está também a organizar um debate escrito online sobre como melhorar a educação e formação de adultos para pessoas com deficiência. O debate é aberto a todos e terá início em 8 de junho de 2017 às 14:00 horas CEST (13:00 horas Lisboa).

Aqui na Aprender divulgamos, em português, um projeto Irlandês orientado para as pessoas com deficiência intelectual procurando facilitar a sua participação no ensino superior e ampliar a sua oportunidade de contribuírem como indivíduos no ambiente educacional, cultural e social na universidade.

Divulgamos aqui parte do artigo de três elementos do Department of Adult and Community Education da Universidade Maynooth na República da Irlanda - Josephine Finn, Saranne Magennis e Laura Burke, disponível la plataforma EPALE.

Facilitar o Acesso à Educação a Adultos com Deficiência Intelectual - porque é que os modelos totalmente inclusivos funcionam

Um modelo de aprendizagem inclusivo

Nos últimos seis anos, nove estudantes com deficiência intelectual tornaram-se estudantes universitários através de uma Iniciativa de Aprendizagem Inclusiva (ILI) na Universidade de Maynooth na República da Irlanda. O objetivo do ILI foi facilitar a participação de pessoas com deficiência intelectual no ensino superior e a ter a oportunidade de contribuir como indivíduos no ambiente educacional, cultural e social na universidade.

O ILI é baseado num modelo desenvolvido na Província de Alberta no Canadá em 1987. Foi construído sobre o modelo social da deficiência, que reconhece o potencial humano de pessoas com deficiência e defende a sua independência e inclusão enquanto cidadãos. A abordagem cria um modelo totalmente inclusivo que procura corrigir as desigualdades experienciadas por pessoas com deficiência intelectual no acesso ao ensino superior.

O ILI emulou o modelo de Alberta e sustentou-o com pedagogias de educação de adultos que procuram facilitar a inclusão de diversos indivíduos e grupos na educação. A ênfase no acesso, na justiça e na igualdade é fundamental para a educação de adultos. Promove um ambiente e cultura centradas no aluno e está empenhada em desenvolver práticas, currículo, avaliação, administração e garantia de qualidade que apoie a ampliação da participação na educação. A educação de adultos está comprometida com os direitos humanos.

Principais características do modelo

­O ILI apoia-se numa abordagem baseada em direitos para ampliar a participação. Isso significa que os estudantes orientam a sua própria aprendizagem da mesma maneira que outros alunos. No ensino superior é um requisito comum que os alunos com competências específicas sejam submetidos a uma avaliação centralizada para determinar os apoios de que necessitam. Nesta iniciativa, os alunos determinam se precisam de apoios, de quais, e depois solicitam-nos conforme necessário.

­ Uma abordagem de apoio individualizado - os alunos não participam em cursos especiais concebidos exclusivamente para eles, mas frequentam diferentes módulos e fazem suas próprias escolhas sobre planos e metas individuais de aprendizagem.

­É proporcionado um Facilitador de Aprendizagem - acompanha os alunos nos seus estudos e ajuda a ultrapassar obstáculos à medida que eles emergem, apoiando-os na sua trajetória de aprendizagem.

­ Reconhecimento e acomodação dos estilos de aprendizagem dos alunos pelos professores - quando apropriado, adaptam os métodos de avaliação para permitir que os alunos demonstrem a sua aprendizagem e, assim, atinjam os resultados de aprendizagem do módulo.

­ Um programa de parceria voluntária para enriquecer a experiência dos alunos - outros estudantes do corpo estudantil são convidados a fazer parcerias com os alunos do ILI para ampliar sua participação em clubes, sociedades e outras atividades de lazer. Alguns tornam-se co aprendentes; frequentam as mesmas aulas e tornam-se "amigos de estudo". Os voluntários recebem formação para desenvolver sua capacidade de desempenhar o papel de parceiro.

- Um Certificado de Aprendizagem Individual especificamente projetado para garantir que toda a aprendizagem alcançada pelos alunos fica visível. Uma transcrição detalhada dos créditos acumulados, os módulos completados, os graus e os níveis alcançados no quadro nacional de qualificações da Irlanda.

O modelo impactou positivamente nos estudantes, seus colegas e professores.

Pode ler o artigo completo em inglês aqui: https://ec.europa.eu/epale/node/35634

 "

 

Consulte a página temática da EPALE Pessoas com Deficiência onde a comunidade e as equipas nacionais reuniram interessantes artigos de blogue, recursos úteis e notícias sobre o tema (os conteúdos variam de acordo com o idioma selecionado). Não se esqueça de visitar a EPALE regularmente para aceder a novos conteúdos, em junho.

A EPALE está a organizar um debate escrito online sobre como melhorar a educação e formação de adultos para pessoas com deficiência. O debate é aberto a todos e terá início em 8 de junho de 2017 às 14:00 horas CEST (13:00 horas Lisboa). Será moderado pela Coordenadora da EPALE para o tema Apoio ao Aprendente, Gina Ebner. Os comentários estão abertos a partir de 5 de junho para que os participantes possam apresentar-se ou apresentar as suas questões antecipadamente.

Em: https://ec.europa.eu/epale/pt/blog/epale-focus-persons-disabilities

 

Tópicos: Tags:

Adicionar novo comentário