Literacia em Saúde

Quando falamos de educação de adultos, a saúde raramente é a primeira coisa que nos vem à mente – frequentemente pensamos em competências básicas ou melhoria de competências para o mercado de trabalho. Mas a educação de adultos pode ser uma ferramenta poderosa para melhorar a saúde e o bem-estar das pessoas.

O Inquérito Europeu à Literacia em Saúde (2013) concluiu que um número preocupante de adultos na Europa possui baixos níveis de literacia em saúde. Os baixos níveis de competências em saúde demonstraram ter como resultado escolhas menos saudáveis, pior saúde e mais hospitalizações.

Literacia em Saúde é o tema que está em foco em dezembro na EPALE (Plataforma Eletrónica para a Educação de Adultos na Europa) que considera ser este tema extremamente importante principalmente para grupos vulneráveis, como os idosos, as minorias e as pessoas com baixos rendimentos ou baixos níveis de escolaridade.

Aqui na Aprender divulgamos, em português, o artigo de David Mallows “O que é Literacia em Saúde”.

Literacia - mais do que apenas ler e escrever

Por Davis Malloows

A palavra inglesa ‘literacy’ tem uma definição simples - a capacidade de ler e escrever - e, no entanto, o seu significado exato está sujeito a um debate infindo. Tais debates são comuns em projetos europeus, uma vez que ‘literacy’ não possui uma tradução direta em muitos idiomas. Este é também o caso de outras formas da palavra, como ‘literate’ e ‘literacy learning’.

Uma outra complicação para os tradutores é que a ‘literacy’ tem outro significado em inglês. Além de ser usado para falar sobre a capacidade de ler e escrever, é comum que a palavra literacia seja precedida de um termo que se refere a um campo especializado. Assim, temos literacia informática, literacia financeira, literacia quantitativa, literacia emocional e muitas outras; acabei de encontrar 33 deles (incluindo a literacia oceânica). Embora, para cada uma dessas áreas especializadas, o uso de informações mediadas por texto, muitas vezes texto especializado, desempenhe um papel importante, o significado de literacia aqui não é leitura e escrita, mas competência – ser capaz de se envolver com competência nessa área. É o caso da literacia em saúde.

O que é literacia em saúde?

A literacia em saúde é geralmente definida como o grau em que os indivíduos têm a capacidade de obter, processar e compreender informações e serviços básicos de saúde necessários para tomar decisões adequadas de saúde (https://health.gov/communication/literacy/quickguide/factsbasic.htm). Na sua forma mais simples, significa ser competente para cuidar da sua própria saúde. Abrange cuidados generalistas de saúde, prevenção de doenças e promoção da saúde e foca-se nos modos como os adultos acedem ou obtêm informações relevantes para a sua saúde dos profissionais, instituições médicas, produtos médicos e outras fontes; e como compreendem, avaliam e usam essas informações.

No entanto, a literacia em saúde não é apenas sobre indivíduos. Melhorar os níveis sociais da literacia em saúde também é sobre a compreensão e a redução das barreiras criadas pelo pessoal e sistemas de saúde. Os níveis sociais de literacia em saúde podem ser melhorados quando os documentos e processos utilizados nos momentos de encontro sobre a saúde são projetados com uma compreensão do nível de conhecimento e compreensão de todos aqueles que participarão neles. Os profissionais do sistema de saúde devem ser bons comunicadores, conscientes da necessidade de apoiar pacientes e cuidadores a navegar na variedade de informações que a nossa saúde produz.

A importância dos educadores de adultos em aumentar a conscientização sobre o conceito de literacia em saúde e em melhorar as formas como o sistema de saúde comunica com os seus utentes foi uma mensagem central da Carta Canadense de Calgary sobre Literacia em Saúde. (http://www.centreforliteracy.qc.ca/sites/default/files/CFL_Calgary_Charter_2011.pdf):

As competências e capacidades dos indivíduos de literacia em saúde contribuem para a literacia em saúde de um sistema ou organização dos serviços de saúde. Por exemplo, um indivíduo com alto nível de literacia em saúde pode melhorar o desempenho de um sistema. No entanto, um sistema ou organização com baixa literacia em saúde pode sobrecarregar um indivíduo com literacia em saúde ou diminuir o efeito de um documento bem escrito.

Existem poucos dados individuais ou a nível de sistema sobre a literacia em saúde das sociedades europeias. O Inquérito Europeu para a Literacia em Saúde (HLS-EU) foi um resultado do Projeto Europeu de Literacia em Saúde, liderado pela Universidade de Maastricht de 2009 a 2012. A pesquisa mediu a literacia em saúde em oito países e constatou que a baixa literacia em saúde era generalizada na Europa, mas que diferia substancialmente entre os países. Havia também "subgrupos dentro de cada país com fatores socioeconómicos, tais como o estatuto económico, emprego e educação, associados à baixa literacia em saúde, sugerindo a presença do tipo de gradiente social que é familiar a pesquisas de outras questões relacionadas, tal como a própria literacia".

Educação de adultos e literacia em saúde

A educação de adultos pode desempenhar um papel central na melhoria dos níveis sociais de literacia em saúde e, assim, da saúde a longo prazo das populações europeias. A literacia em saúde, a um nível individual (sendo competente na gestão da sua própria saúde), e a nível social (ter uma população capaz de gerir de forma competente a sua própria saúde), é um conceito útil e que está a captar com razão a atenção dos decisores políticos. Ao mesmo tempo que se trabalha com adultos para os ajudar a gerir com sucesso a sua própria saúde, as políticas públicas devem encorajar os educadores de adultos a envolver-se com os profissionais de saúde e com os sistemas em que trabalham, sobre a forma como a informação médica é comunicada.

 

David Mallows tem mais de 25 anos de experiência em educação de adultos como professor, formador, dirigente e investigador. Atualmente é Diretor de Investigação no Centro Nacional de Investigação e Desenvolvimento para a literacia e cálculo dos adultos (NRDC) no UCL Institute of Education, em Londres, e lidera a linha de educação de adultos da rede de políticas de literacia da Comissão Europeia, ELINET.

Artigo em inglês aqui:: https://ec.europa.eu/epale/en/blog/what-health-literacy

As equipas da EPALE de toda a Europa reuniram muitos artigos de blogues interessantes e recursos úteis sobre o assunto.

Não deixe de visitar a EPALE regularmente, porque em dezembro serão publicados novos conteúdos sobre literacia em saúde.

Ver mais em informação em português aqui: Em: https://ec.europa.eu/epale/pt/blog/epale-focus-health-literacy

Tópicos: Tags: