Educação em Contexto Prisional

 A mediana da taxa de população prisional da Europaé de 115,17 reclusos por cada 100 mil habitantes. Enquanto isso, apenas uma pequena percentagem destas pessoas tem qualificações para ingressar no ensino superior, e em muitos países a população prisional tem uma elevada taxa de abandono escolar precoce. Baixos níveis de qualificação têm um impacto negativo muito relevante na empregabilidade dos ex-reclusos após a sua libertação, o que tem sido uma das principais razões para a reincidência. É por isto que a educação/formação em competências básicas e em competências profissionais tem um papel tão importante para desempenhar na reintegração de prisioneiros.

Divulgamos no nosso site o projeto Erasmus + “IOWA” que envolve organizações da Lituânia, Bélgica, Noruega e Espanha e que têm como objetivo partilhar métodos inovadores que motivem com sucesso os reclusos a estudar. Este grupo social geralmente tem experiências de aprendizagem negativas, por isso é muito importante aumentar a sua motivação para estudar e devolvê-los ao processo educativo para os reintegrar da melhor forma possível na sociedade e no mercado de trabalho após a prisão.

A Educação em contexto prisional é o foco temático da EPALE para o mês de julho.

Visite regularmente a EPALE durante o mês de julho, para descobrir novos conteúdos!

IOWA - Foco na motivação de presos e condenados em prisões europeias

Em 1 de setembro de 2017, o projeto de parceria estratégica Erasmus + "InnOvative WAys para motivar os prisioneiros para a aprendizagem" (IOWA) KA2 Ação-Chave (KA204) foi lançado na Escola Siauliai de Estudantes Adultos (Šiaulių suaugusiųjų mokykla), Lituânia, com parceiros da Bélgica, Noruega, Espanha (projeto nº 2017-1-LT01-KA204-035225).

As organizações participantes do projeto têm o objetivo de partilhar métodos inovadores que motivem com sucesso os reclusos a estudar. Este grupo social geralmente tem experiências de aprendizagem negativas, por isso é muito importante aumentar a sua motivação para estudar e devolvê-los ao processo educativo para os reintegrar da melhor forma possível na sociedade e no mercado de trabalho após a prisão.

A solução para este problema é importante em todos os países europeus. Assim, os parceiros do projeto concentram-se na educação dos educadores de adultos (androgogos): estão planeadas três encontros para atividades de aprendizagem, formação e ensino, nas quais serão realizados seminários, discussões, visitas de estudo para conhecer as oportunidades educativas nas prisões. Durante a implementação do projeto, será criado um guia de formação que ajudará os educadores (formais, não formais, vocacionais) a elevar a qualidade da educação de adultos e, em particular, a motivar os reclusos para aprender o mais eficazmente possível.

De 28 de janeiro a 4 de fevereiro, as primeiras atividades de aprendizagem, ensino e formação deste projeto aconteceram em Turnhout, na Bélgica. A equipa internacional (andragogos, psicólogos penitenciários, especialistas em carreiras, representantes de unidades administrativas, etc.) apresentou a contribuição de suas organizações para a formação de internos, analisou a política educativa dos seus países relativamente à população prisional e exemplificaram métodos específicos utilizados em atividades educacionais com presos.

Representantes da organização não-governamental belga Asturia e da Taxandria CVO Turnhout, centro de educação de adultos, introduziram métodos de motivação de aprendizagem que utilizam o ensino do inglês e de tecnologias de informação aos condenados belgas, bem como aos presos estrangeiros. Representantes da organização espanhola “CEPER Concepcion Arenal” apresentaram as estratégias que usam para motivar a aquisição de uma profissão. Também mostraram uma abordagem única que utiliza música flamenca, canções e danças para ensinar presos analfabetos a ler e escrever. Os representantes da Escola de Estudantes Adultos de Siauliai (Lituânia) introduziram a forma como proporcionam educação formal no departamento da sua escola na prisão de Šiauliai Remand.

Os andragogos lituanos organizam atividades personalizadas de autorreforço e orientadas para a criatividade, como, por exemplo, concursos, brainstorms, aulas de música instrumental, etc. durante as aulas e também durante sessões de educação não formal. Os parceiros noruegueses do projeto Jessheim videregående skole apresentaram mudanças nos fatores motivacionais durante os últimos dez anos: devido às necessidades em mudança da sociedade, também estão a mudar a visão de mundo dos reclusos, as suas expectativas quanto ao período de castigo e também quanto ao seu futuro depois da prisão. Portanto, é muito importante investigar periodicamente os fatores motivacionais dos reclusos e de acordo com os resultados das pesquisas organizar uma metodologia para os motivar a estudar.

Durante este encontro, os participantes do projeto visitaram a Prisão de Wortel onde foram mostrados espaços educativos para treino de reclusos e condenados – salas para grupos de trabalho e projetos criativos, aulas de informática, biblioteca, setores de treino vocacional, etc. Os educadores que trabalham nesta instituição iniciaram o trabalho dos participantes do projeto em equipas, tendo identificado cinco grupos de pessoas que têm a maior influência na motivação de presos: os próprios presos (auto-motivação), bem como outros prisioneiros (pares), a família de prisioneiros, um círculo de amigos e, claro, professores e funcionários da prisão. Todas as equipas concluíram que a interação de todos esses grupos determina os melhores resultados motivacionais de aprendizagem.

Os participantes do projeto também visitaram a Universidade de Antuérpia, onde assistiram a uma palestra sobre prisioneiros seniores. O fator da idade é uma condição muito importante para a vida do recluso na prisão e para as possibilidades de estudar de forma a alcançar alguns resultados, concentrando-se mais na sua saúde física e mental.

Resumindo, o pessoal das prisões europeias e os parceiros destas instituições expandiram as suas competências na educação de reclusos e condenados, resumiram a experiência dos países-parceiros de forma a desenvolver novos métodos de acesso inovador à educação dos prisioneiros. No percurso de descobertas partilhadas, ficarão disponíveis valiosos resultados para os educadores de adultos dos países-parceiros do projeto, bem como para os educadores de prisões de outros países europeus.

Artigo de Zulfija Guzienė, coordenador do projeto e Rasa Dumčiūtė, membro do grupo de projeto

Disponível em inglês aqui:

Em: https://ec.europa.eu/epale/en/content/iowa-focus-motivation-arrested-and-convicted-european-prisons

Site do projeto IOWA: http://www.iowa.lt/ 

Visite a página temática da EPALE para EPALE Aprendizagem em estabelecimentos prisionais

onde a comunidade e as equipas nacionais reuniram artigos interessantes, recursos úteis e estudos de caso sobre o tópico (o conteúdo varia de acordo com a sua preferência de idioma). Visite regularmente a EPALE durante o mês de julho, para descobrir novos conteúdos!

O foco temático da EPALE para o mês de julho é a educação em contexto prisional

Em: https://ec.europa.eu/epale/pt/blog/epale-focus-prison-education

 

 

 

 

Visite a EPALE regularmente, para descobrir novos conteúdos!

https://ec.europa.eu/epale/pt/ (em português)

 

 

 

Tópicos: Tags: