Voluntariado na Aprendizagem dos Adultos

Hoje é Dia Internacional do Voluntariado (5 de dezembro).

Os voluntários podem contribuir para o setor de aprendizagem de adultos, trabalhando em conjunto com a equipa local para fornecer educação básica e aprendizagem de idiomas, ou de outras maneiras, como ajudar em pequenos empreendimentos comunitários e formação de competências. Mas não se trata apenas de competências básicas e alfabetização - voluntários com experiência em negócios ou marketing, por exemplo, podem ajudar pessoas com as competências necessárias para montar e administrar uma pequena empresa. Eles podem ajudar a desenvolver relações interculturais e permitir que os adultos ganhem a vida ou entendam seus direitos humanos.

Neste mês de dezembro pode encontrar projetos e recursos sobre o papel do voluntariado na aprendizagem dos adultos na EPALE Plataforma Eletrónica para a Educação de Adultos na Europa.

Aqui na Aprender divulgamos um texto que traduzimos para português do Coordenador Temático da EPALE Simon Broek, sobre o papel importante dos voluntários na aprendizagem de adultos, mas também pede que não nos esquecemos de que os voluntários não devem ser usados para substituir os educadores de adultos.

A educação de adultos como panaceia para problemas sociais: o papel dos profissionais e o do voluntariado

Por Simon Broek

A aprendizagem de adultos é frequentemente vista como uma panaceia para resolver muitos problemas sociais, assim como a educação em geral. Inclusão social, aprendizagem de línguas, competências digitais, liteacia financeira e tolerância são todos os aspetos para que a aprendizagem de adultos está a contribuir. No entanto, muitas vezes, estas questões sociais são priorizadas sem aumentar, respetivamente, os orçamentos dedicados à educação de adultos - um problema enfrentado pela maioria dos sistemas de aprendizagem de adultos na Europa.

Razões para fazer uso de voluntários na aprendizagem de adultos

Uma maneira de a aprendizagem de adultos continuar a contribuir para resolver alguns desses problemas sociais (dentro dos seus limites financeiros) é fazer uso de voluntários. Os voluntários dedicam o seu tempo a ajudar os necessitados e tentam educá-los em aspetos que são considerados importantes. Além disso, eles geralmente fornecem suporte em orientações de vida/trabalho leves. Por exemplo, os voluntários ajudam os migrantes a escrever cartas oficiais, encontrar serviços de apoio adicionais, ajudar os recém-chegados a entender como funciona a sociedade anfitriã, etc.

Voluntários não são "empregados" apenas por razões financeiras. Há também um interesse humanista dos voluntários em apoiar grupos vulneráveis e esse interesse deve ser especialmente valorizado em sociedades individualistas. Além disso, o voluntariado é o desenvolvimento de competências em si mesmo: aqueles que são voluntários também adquirem competências e experiências sociais, didáticas e de vida específicas.

Profissionais vs voluntários?

No entanto, existe um problema em trabalhar com voluntários na educação de adultos. Explica-se melhor quando comparamos com a educação inicial (primária ou secundária).

Gostariam que um não-profissional ensinasse e educasse os seus filhos? Se as escolas trabalhassem com voluntários para educar as crianças, isso certamente levaria a debates acalorados e questões políticas. Por que é que isso é diferente para a educação de adultos? Por que permitimos que os não-profissionais formem grupos vulneráveis, geralmente tendo um histórico de migração ou experiências de aprendizagem negativas? Não precisamos de profissionais para fazer isso?

Um futuro de aprendizagem de não profissionais

Eu apoio a ideia de que a aprendizagem de adultos nem sempre é algo organizado e até sonho com um mundo onde a aprendizagem é parte integrante da vida e do trabalho quotidiano, fluindo naturalmente das atividades em que alguém se envolve e quer se engajar. É mais autodirigida e os alunos podem encontrar 'professores' e 'instrutores' ad-hoc (por exemplo, perguntar ao seu vizinho como fazer o jardim, aparentemente ele tem conhecimento disso). Nesse cenário, os professores podem ser "amadores" (não profissionais que são apaixonados por um assunto específico).

No entanto, não devemos misturar estas duas perspetivas: para um grande grupo de alunos adultos (mais vulneráveis), a aprendizagem é organizada e confiar nos voluntários significa não dar aos alunos o apoio de que precisam e merecem.

Status profissional

Além disso, o uso de voluntários na aprendizagem de adultos cria a impressão de que a educação de adultos é de fato uma atividade de voluntariado que prejudica a posição dos profissionais de educação de adultos. Como se pode explicar que profissionais e voluntários estão a fazer a mesma coisa sem reduzir o status profissional dos educadores?

Valoriza o voluntariado, mas não misturar papéis de profissionais e não profissionais

O voluntariado é bom. Constrói sociedades mais fortes e resilientes. No entanto, o voluntariado não pode substituir os papéis profissionais quando se trata de provisão educacional. Se a educação de adultos é um serviço social, assim como outras formas de educação ou cuidados de saúde, a responsabilidade deve estar com alguém que esteja bem preparado para o fazer. Não deve ser deixado para não-profissionais.

Em toda a Europa podem ser encontrados modelos de como os voluntários trabalham com outros profissionais, mas ainda precisamos pensar em como os educadores de adultos podem trabalhar com voluntários para alcançar os melhores resultados.

Concorda com os pontos apresentados neste artigo? Partilhe as suas opiniões nesta página:

https://ec.europa.eu/epale/node/89281

Simon Broek esteve envolvido em vários projetos de pesquisa europeus sobre educação, questões do mercado de trabalho e negócios de seguros. Aconselhou a Comissão Europeia, o Parlamento Europeu e Agências Europeias em questões relacionadas com políticas educacionais, aprendizagem ao longo da vida e questões do mercado de trabalho, e é Managing Partner do Ockham Institute of Policy Support.

Este texto está disponível em inglês aqui: https://ec.europa.eu/epale/node/89281

Visite os links abaixo disponíveis para alguns recursos interessantes sobre o papel do voluntariado na aprendizagem dos adultos, enviados pela comunidade e pelas equipas nacionais, e visite a EPALE regularmente em dezembro para encontrar novos conteúdos relacionado com este tópico!

Em português

Validação de competências adquiridas em trabalho voluntário através do Quadro Europeu de Qualificações

Blog posts

The role of volunteer befrienders in supporting integration (EN)

Welcome to dance class where the average age is 77 (EN, BG, FR, FI)

Building diverse communities through volunteering (SK, ET, EN)

Validation of competences in the field of volunteering based on the European Qualification Framework (EN, DE, ES, PT, BG, IT, FI)

Workshop case study: 'Volunteers for Intercultural Learning' (EN)

Volunteers in language and literacy education for adult migrants (EN, NL)

A volunteer’s most important skill is to listen – Job Shadowing Experience in London (EN, FI)

Volunteers: how do they get their skills recognised? (EN, ET)

Volunteering for the Future: Upskilling International Volunteers as Active Citizens on International Development Issues (EN)

Case study: Project ‘I Volunteer!’ (EN)

Volunteering as an adult tutor (EN, ET)

The adult learning volunteer (EN, NL)

Resources

LEVER UP / Valuing informal learning and transversal competences experienced in the voluntary service to increase employability, social responsibility and mobility

Evidencing the impact: a resource to support the volunteering sector to evidence the impact of adult learning

The role and value of volunteers in the criminal justice system - a European study

Volunteers make a difference: tools and best practices in recruiting, managing and retaining volunteers

Community Learning and Volunteering

Inclusive volunteering

Volunteer impact, motivations and recognition

Reports from Grundtvig workshop – "Volunteers for Intercultural Learning"

Informação disponível em: https://ec.europa.eu/epale/node/89060

 

Tópicos: Tags: